Páginas

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Abobrinha gratinada



Outro dia vi a Bela Gil, falar em um programa dela que, "brasileiro tem mania de por creme de leite em tudo, que Brasileiro acha que tudo com creme de leite fica mais gostoso". Não sei se todo brasileiro é assim, mas que eu faço parte da classe que gosta de creme de leite em quase tudo, ah eu faço. Gosto mesmo!!

Sei que o comentário dela foi como uma critica, reprovando o creme de leite, mas quem liga? Eu não ligo! Tenho uma alimentação saudável todos os dias, mantenho uma rotina equilibrada justamente para vez ou outra poder satisfazer essas minhas vontades. E é bom viu?! Até no ovinho mexido do café da manhã, creme de leite é bom.

Beijo, Bela!

Fotos do passo a passo e receita

Eu sou dessas, que acha que o alho não precisa ficar apenas no tempero do arroz e feijão, aqui ele vai bem com tudo. Amo!


Eu gostaria muito de fazer esse gratin com um molho bechamel, mas por conta dessa interrogação com o glúten na vida da Maria, optei por fazer apenas com um creme de leite bem temperadinho com alho, salsa, noz moscada, pimenta do reino e o sal, que combinado com  queijo parmesão casou super bem e ficou uma delícia! 










Ingredientes:


  • 2 Abobrinhas cortadas em rodelas de mais ou menos 1/2 a 1 cm de espessura
  • 1 caixinha de creme de leite (de boa qualidade)
  • 1 dente de alho
  • pimenta do reino moída á gosto
  • sal
  • noz moscada
  • salsa bem picadinha (somente as folhas)
  • Queijo parmesão ralado na hora. 
Preparo:

  1. Faça um molho, misturando em um pequeno refratário o creme de leite, salsa, noz moscada, alho, pimenta do reino e reserve!
  2. Pincele a frigideira que você for usar com azeite ou manteiga e coloque as rodelas de abobrinha. Grelhe dos dois lados, mas cuidado para não queimar porque o processo é muito rápido
  3. Coloque as rodelas em um refratário e intercale com o molho, queijo e abobrinha, finalizando com queijo e o molho
  4. Leve ao forno bem quente para derreta e gratine o queijo. 
  5. Sirva com salada e uma carne de sua preferência.


terça-feira, 13 de outubro de 2015

Dadinho de tapioca do Rodrigo Mocotó


Eu já andava com vontade de fazer esse dadinho em casa há um bom tempo, mas só pelo fato de ser fritura eu protelava e deixava para diante. Sempre comprava o queijo e a farinha de tapioca, mas eles sempre viravam outras receitas.  Final de semana passada eu aproveitei a visita de um casal de amigos de Brasília, que vieram matar a saudade, para fazer. Já que estávamos mesmo na cervejinha, aquela era hora.

Achei uma delícia, mas fazer frituras aqui não é o meu forte. Não gosto!! A casa fica inteira com cheiro, o fogão todo respingado de óleo, o chão grudento... Mas em fim, é bom! De verdade muito gostoso. Se você não se importa de fazer uma sujeirinha de leve por aí, faça também em casa.

Eu servi com geleia de acerola com pimenta, também feita por mim, mas ainda não publiquei dela aqui. A receita é um pouco longuinha e trabalhosa, mas que no meu ver, vale muito cada minuto dedicado à preparação dela. Já tenho fotos dela pronta, mas preciso amadurecer mais a ideia de  coloca-la aqui no blog.
Receita:


  • 250 g de tapioca (não é a goma, é uma farinha em carocinhos, bem parecido com sagú)
  • 250 g de queijo coalho ralado
  • 500 ml de leite bem quente
  • sal (cuidado, o queijo já pode ser bem salgado)
  • pimenta branca moída na hora 
Preparo:

  1. Misture bem o queijo ralado e a farinha de tapioca, junto com o sal e a pimenta.
  2.  acrescente o leite quente e mexa bem até que o leite tenha sido absorvido pela farinha de tapioca.
  3. Coloque a mistura em uma assadeira forrada com filme plástico (para facilitar na hora de desenformar) e deixe descansar na geladeira por três horas.
  4. Corte em cubos e frite em óleo bem quente até eles estarem dourados. 
  5. Sirva com uma geleia de sua preferência e acompanhe com uma cervejinha bem gelada.
Obs: Não coloque muitos de uma unica vez na panela. Vá fritando aos poucos, para que o óleo não esfrie e os dadinhos não fiquem encharcados .


Pastinha de ricota/cottage caseira e alho


As vezes eu tenho dificuldade de publicar uma receita, por mais simples que ela seja. Talvez seja pelo fato de ela ser simples e de não existir receita, apenas um modo de preparo. Vou pegando os ingredientes, e transformando. Foi assim com essa pastinha, e é assim com muitas outras coisas. 

Para fazer essa pasta é fácil, e ela nasceu a partir "daqui", daí, foi só colocar no processador o queijo (todo ele), umas duas ou três colheres das de sopa  de maionese, sal, um dente de alho bem grande e bater até que tudo tenha virado uma pasta. 

Gosto de variar nos sabores, troco o alho por azeitonas, atum, pimentão assado, e outras coisas que não me lembro agora. Mas ela simples assim, já valoriza o queijo que na minha opinião não tem gosto de nada. 


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Licor caseiro de cacau


Eu tinha na minha geladeira menos de meia garrafa de vodka, há meses. Não sei nem explicar por que raios elas estava lá, mas acho que pode ter sido do carnaval, algum amigo trouxe e o que sobrou não levou de volta. Eu não curto vodka, marido também não, mas sempre que eu olhava pra ela, pensava que poderia transforma-la em algo. Por duas vezes pensei em fazer geleia de morango, mas na hora "H", eu sempre desistia. 

Essa semana, três amigas estavam de aniversário, e como sempre, o meu presente pra elas, tinha que ser produzido aqui, na minha cozinha. Eu sempre tive vontade de fazer o licor da Manu, e como dessa vez a minha intenção eram os presentes, resolvi dar um destino a aquela garrafa de vodka e por em prática o licor. A receita é excelente, e o preparo é rápido. 

Licor caseiro de cacau:


Ingredientes:

  • 200 g de açúcar
  • 200 ml de água filtrada
  • 3 colheres (sopa) de cacau em pó (Tem que ser cacau, se colocar chocolate em pó, ele não vai ficar com uma cor bonita e nem com um sabor intenso)
  • 1 lata de leite condensado
  • 300 ml de rum, cachaça, vodka ou whisky (já vi receita até com alcool de cereais, mas eu não me animo)
  • 1 colher (chá) de extrato ou essência de baunilha


Preparo:


  1. Misture o açúcar, a água e o cacau em uma panela e leve ao fogo (baixo) até todo o cacau dissolver, mas sem mexer muito. Deixe esfriar!
  2. Depois de frio, coloque a misture no liquidificador e bata com o leite condensado. Transfira para uma jarra, misture a vodka ou a bebida que você estiver usando, junto com a essência de baunilha. Misture bem!
  3. Coloque em uma garrafa esterilizada  e se você for presentear alguém, use a criatividade e dê uma personalidade ao seu presente. Eu usei fio de sisal que tenho bastante e peguei umas florzinhas da vizinha que nunca poda as plantas dela, e elas atravessam por cima do meu muro. 
  4. Quanto mais tempo o licor ficar curtindo, melhor o sabor dele. Mas toda vez que for consumir, lembre-se de balançar a garrafa para misturar com os resíduos do cacau que fica no fundo.




domingo, 13 de setembro de 2015

Vatapá



Ano passado eu recebi aqui em casa, a visita de duas pessoas muito queridas, que moram de graça no meu coração. Thiara e Ragma

 Hoje eu acordei com saudade deles, e me lembrei dessa foto que nós tiramos para registrar o acarajé.

Na bagagem, eles me trouxeram um pouco da Bahia, e eu, claro, fiquei tão feliz que não pude me conter de alegria.  No pacote veio azeite de dendê (muiito que eu ainda tenho dele aqui), massa de acarajé, camarão seco, farinhas, temperos, tapioca... e uma quantidade significativa de vinhos, que fizeram a alegria das nossas noites. Quem me conhece sabe  que eu jamais deixaria de fazer uma farra na cozinha com esses ingredientes, e uma das coisas que saiu foi esse acarajé.

O meu trabalho com o acarajé, foi apenas de moldar com duas colheres, fritar no azeite de dendê e rechear com o vatapá, que esse eu posso dizer fiz. Mas eu adoraria um dia, fazer a massa.

 Vatapá - receita:

Ingredientes:

  • 500 g de camarão seco
  • 2 litros de leite de coco (de preferência natural)
  • 150g de amendoim torrado e sem a pele
  • 150g de castanha de caju
  • ½ molho de cheiro verde (salsinha e cebolinha)
  • ½ molho de coentro
  • suco de um limão
  • 1 pimenta dedo de moça picada (opcional)
  • 4 tomates picados
  • 2 cebolas grandes picadas
  • 2 xícaras de azeite de dendê
  • 1 colher de azeite de oliva
  • 10 pães franceses amanhecidos
  • sal
  • 1 pequeno pedaço de gengibre ralado
Preparo:

  1. Rasgue os pães grosseiramente e deixe de molho na metade do leite de coco por no minimo quatro horas
  2. Tire a cabeça e a calda dos camarões, e divida em duas partes.
  3. No liquidificador, bata o amendoim torrado, as castanhas e o camarão até formar uma farofa, transfira essa mistura para uma panela e no mesmo liquidificador bata os temperos; Cheiro verde, coentro, suco de limão, pimenta dedo de moça, os tomates, cebola,.
  4. coloque na panela  junto com a farofa de camarão e castanhas e adicione o pão,o restante do leite de coco e mexa até engrossar. 
  5. O ponto do vatapá é firme, porém cremoso, caso ele fique duro coloque mais leite de coco.
Sirva com os bolinhos de acarajé, tomates e cebola picadinho e pimenta. 

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Franguinho assado bem suculento, com batatas





Há duas semanas atrás recebi a visita de uma amiga aqui em casa, e foi bem na hora do almoço. Para servir, eu preparei esse "franguito" lindo, assado, com batatas... Na verdade sempre que faço frango assado, faço batatas. Nem sempre as mesmas receitas, mas a batata sempre está presente para acompanhar o frango.

Fiz o frango porque além de gostar muito, eu acho pratico e geralmente ele agrada todo mundo.

O tempero eu fiz e faço sempre no olho, nunca uso medidas. Depois de passar limão no frango, lavar com água corrente e secar com papel toalha, eu começo a temperar.  Uso mel, mostarda Dijon, alecrim fresco colhido no meu quintal, um pouquinho de shoyo, sal e pimenta. Esfrego por todo o frango, dentro e fora, massageando bem e espalhando o tempero por ele todo. Deixo descansar por meia hora, cubro o frango com papel laminado e levo pra assar no forno pré-aquecido a 200°C por mais ou menos 40 a 45 minutos. Depois desse tempo, tiro o papel do frango e termino o cozimento dele no forno regando sempre com o caldo que se formou no fundo da assadeira até o frango estar assado por completo e bem douradinho. Na verdade o meu tempo dele no forno é sempre no olho, tiro quando eu vejo que pra mim já está no ponto. (jeito de casa de mãe. Quem nunca viu a mãe na beira do forno regando um franguinho pra ele ficar mais suculento, sem marcar a hora e ainda assim ele sair perfeito?)

As batatas não foram diferentes. Primeiro cozinhei em água até elas estarem macias e em seguida escorri e com elas ainda quente, dei um murrinho de leve em cada uma, coloquei em uma assadeira, reguei com azeite, joguei por cima alecrim, pimenta, sal e forno. Como eu tenho a vantagem de ter um fogão com dois fornos, coloquei as batatas no forno de cima enquanto o frango terminava de assar no de baixo.

E para acompanhar o frango e as batatas, não podia faltar na minha mesa o bom e velho arroz com feijão, saladinha de folhas verdes com tomates e uns legumes picadinhos e cozidos no vapor. Aqui a tradição da boa mesa Brasileira, reina e o arroz com feijão não pode faltar.

Espero que gostem.


Comentários Facebook

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...